Dicas: Cuscuta, uma planta parasita

Posted on

Não é difícil também de ver os galhos secos e sem folhas quando estes estão acima de onde a planta parasita está instalada.

No tocante à sua estrutura, basicamente as plantas são formadas pela raiz (fixação e alimentação), caule (sustentação e transporte de nutrientes), folhas (fotossíntese), flores (reprodução) e frutos (proteção das sementes). Estrutura principal de uma planta angiosperma Algumas plantas possuem sementes, flores, e frutos, são divididas em angiospermas e gimnospermas. São plantas vasculares (presença de vasos condutores de seiva), que possuem raiz, caule, folha e sementes. As raízes distribuem-se amplamente pelo solo, mas há algumas plantas que possuem raízes aéreas, comuns nas trepadeiras, bromélias, orquídeas, enquanto outras possuem raízes submersas, como os aguapés, comuns em represas. Algumas espécies de árvores possuem raízes tubulares, em forma de pranchas verticais, que aumentam a estabilidade da planta e fornecem maior superfície para respiração do sistema radicular. Os haustórios penetram na planta hospedeira até atingir os vasos condutores de seiva, de onde extraem água e nutrientes de que a planta parasita necessita para sobreviver. Plantas que apresentam pequeno crescimento em espessura, como as gramíneas, por exemplo, também apresentam caules revestidos pela epiderme e esta pode ainda apresentar sobre si, externamente, uma cutícula protetora. Caules trepadores estão presentes em plantas trepadeiras e crescem enrolados sobre diversos tipos de suporte. Essas gema podem formar raízes e folhas e originar novas plantas.

Plantas com Parasitas

  • Plantas e Flores que Não Precisam de Muito Cuidado

Dionaea Muscipula– Planta carnívora Plantas descíduas e abscisão foliar Em muitas espécies de angiospermas, principalmente nas adaptadas a regiões temperadas, as folhas caem no outono e renascem na primavera.

Toda a semente possui um envoltório, mais ou menos rígido, um embrião inativo da futura planta e um material de reserva alimentar chamado endosperma ou albúmen. As plantas carnívoras possuem tricomas “digestivos” e a urtiga, planta que provoca irritação da pele, possui tricomas urticantes. Crescimento e desenvolvimento O crescimento de uma planta começa a partir da germinação da semente. Meristema primários Em certos locais das plantas, como nos ápices da raiz e do caule, existem tecidos meristemáticos que descendem diretamente das primeiras células embrionários, presentes na semente. Sua produção em uma planta normal ocorre praticamente em todas as células e se torna mais abundante nas flores após a polinização e nos frutos em amadurecimento. As giberelinas estão presentes possivelmente em todas as plantas, por todas as suas partes e em diferentes concentrações, sendo que as mais altas concentrações estão em sementes ainda imaturas. A senescência não ocorre ao acaso e quando ela é total está mais relacionada a fatores internos da planta que a fatores do meio ambiente. Essa necessidade de frio para florescer ou uma semente germinar, é comum a muitas plantas de clima temperado, sendo chamada de vernalização. Esses nutrientes existem no substrato em que planta vive (solo, água e, eventualmente, meio aéreo) e a sua absorção é realizada principalmente pelas raízes.

É comum ouvir dizer que as orquídeas são plantas que vivem à custa das árvores nas quais se apoiam e que são , por isso , parasitas ??????

  • palisádico – constituído por células prismáticas e justapostos como uma paliçada, e
  • lacunoso -constituído por células de forma irregular, que deixam espaços ou lacunas entre si.

A samambaia, uma das plantas ornamentais mais populares, é um exemplo de planta epífita.

(1994) - Estágio inicial: quando a planta hospedeira possuía mais folhas que o Trata-se de uma planta superior que parasita outras plantas. Apesar de realizar fotossíntese como outras plantas, a Erva de Passarinho é um tipo de planta parasita de diversas espécies de angiospermas. Além de se espalhar com uma grande facilidade, a planta possui umas raízes especiais denominadas haustórios, e elas penetram no caule da planta hospedeira. Durante a estação mais fria do ano as folhas secam e fica muito mais fácil identificar a planta parasita. ELAS PODEM VIVER EM DIFERENTES AMBIENTES COMO, POR EXEMPLO: QUASE TODAS AS PLANTAS SÃO FORMADAS PELAS RAÍZES, CAULE, FOLHAS, FLORES E FRUTOS. Veja mais conteúdo: De difícil combate, emite raízes especiais denominadas haustórios, que penetram no caule e nos ramos da planta hospedeira, sugando-lhe a seiva e causando sua degeneração. A poda deve ser realizada no período de inverno, antes da produção de sementes da planta parasita, quando as folhas das árvores caem e a praga fica mais visível. Se vir uma dessa nas suas plantas corra para arrancá-la ou até sacrificar a planta afetada e tacar fogo.

Resumo da Aula Plantas angiospermas – características, reprodução, exemplos – resumo

  • Atrair as presas;
  • Capturá-las;
  • e Digeri-las.

Vamos ver mais algumas fotos dessas plantas estranhas (fotos wikipédia): Essas três beldades acima são ainda mais bizarras, pois parasitam parasitas!

Algumas plantas cujas folhas não são verdes possuem clorofila, só que ela fica mascarada pela presença de outros pigmentos. Em muitos casos os fungos parasitas das plantas possuem hifas especializadas - haustórios - que penetram nas células do hospedeiro usando os estomas como porta de entrada para a estrutura vegetal. Além de parasitar outras plantas, enfraquecendo-as e sufocando-as, os fios-de-ovos são capazes de transmitir doenças virais de uma planta a outra. Esse grupo de plantas é chamado de plantas parasitas, espécies vegetais que dependem diretamente da água e nutrientes conseguido por outras plantas. Por meio desta troca, as plantas parasitas podem ditar o que a planta hospedeira deve fazer, como diminuir sua defesa, para tornar o ataque mais fácil. “Plantas parasitas são um grande problema para plantações que ajudam a alimentar algumas das regiões mais pobres da África. Cuscuta nas dunas da Apúlia - Foto © Rui Andrade Vários nomes comuns são dados a estas plantas, como cabelos, cabelos-de-nossa-senhora, enleios ou o mais simples cuscuta. O visgo é uma planta parasita – ela só pode crescer sobre outra árvore, pois não tem raízes. A maioria das espécies de visgo tem folhas verdes, permitindo a fabricação de moléculas orgânicas, por meio da fotossíntese… Mas, a maioria das plantas parasitas não consegue fazer isso.

Plantas sem folhas verdes fazem fotossíntese?

Recebendo nutrientes, crescem muito rapidamente, e suas radículas se enrolam ao redor do tronco da planta hospedeira, formando uma rede de raízes.

Isso mesmo, existem fungos que são parasitas, isto é, que obtêm nutrientes de outros seres vivos, prejudicando-os, causando doenças ou até a morte de plantas e animais, inclusive seres humanos. Tipos de raízes (adaptações radiculares): Raízes tabulares Possuem duas funções importantes na planta: ajudam na fixação ao solo, além de atuarem como raízes respiratórias. Exemplos de plantas: cenoura, batata-doce, nabo, beterraba e mandioca. Exemplos de plantas: cipó-chumbo e erva-de-passarinho. Exemplo de planta: mangue-preto (avicennia schaueriana) As plantas carnívoras costumam despertar o interesse e a curiosidade das pessoas devido às suas formas exóticas e histórias presentes no imaginário popular. De um modo geral, as plantas servem como fonte de alimento para diversos tipos de animais; mas no caso das plantas carnívoras, o processo se inverte. Para que uma planta seja considerada carnívora, ela precisa apresentar as seguintes características: Há controvérsias, visto que existem algumas plantas que apresentam algumas destas características acima, porém não todas. Armadilhas adesivas ou colantes As plantas com armadilhas colantes possuem substâncias espalhadas pelas folhas (ou pela planta toda) que, quando o inseto pousa sobre elas, os mantém presos. Para extrair a seiva, o cipó-chumbo possui raízes especializadas chamadas de haustórios, ou simplesmente raízes sugadoras, que são capazes de penetrar até os vasos liberianos da planta hospedeira.

Cuscuta, uma planta parasita

Plantas como o cipó-chumbo, que retiram da planta hospedeira todos os seus nutrientes, são denominadas como holoparasitas.

Também realizam fotossíntese, pois possuem clorofila, e retiram das outras plantas, através de suas raízes especializadas, apenas a seiva mineral (água e sais minerais). Já as plantas parasitas, não produzem tudo o que consomem, e puxam da planta atacada a seiva, utilizando-a como alimento. animais  que vivem associados à um vegetal ou plantas que vivem sobre outra planta,