Aqui estão algumas dicas sobre como coletar a amostra de urina para exame de urina:

Posted on

O primeiro jacto de urina traz células e secreções que podem estar presentes na uretra, principalmente se existir um processo inflamatório e/ou infeccioso chamado uretrite.

Se isso não acontecer, a urina poderá ser colhida em qualquer horário do dia, mas com um cuidado antes do exame: de preferência, permanecer duas horas sem urinar. Já a urina tipo II, que é a mais comum, pode ser colhida em casa. Depois das análises químicas e físicas, a terceira parte do exame da urina tipo I é a microscopia. CRISTAIS É comum encontrar cristais na urina, nem sempre têm significado clínico. Além disso, veterinários, ou medicina humana em laboratório, procurando cristais, bactérias e outros organismos presentes no sedimento urinário. O cavalo tem uma urina espesso e viscoso que está nublado durante o exame. Assim, forte cheiro a urina é comum no caso de cistite. O exame de urina O pH saudável, normal da urina humana é inferior a 7.

>> Bactérias na urina: sempre são sinais de uma infecção urinária?

  • Alterações tóxicas do rim.
  • Inflamação do parênquima renal.
  • Inflamação da pelve renal.
  • Deficiência de vitamina A.
  • pH urinário.
  • Concentração e quantidade de urina.

A maioria urina humana é de cerca de 1.010, mas pode variar muito, dependendo de quando a última vez que bebeu líquidos, ou se você está desidratado.

O exame de urina de glicose Normalmente não há nenhuma proteína detectável em uma tira de exame de urina. Normalmente não há bilirrubina ou urobilinogênio na urina num exame de urina normal. O exame de urina sedimentos Piúria ou células brancas do sangue (PEP) na urina pode vir da vagina ou do colo do útero na fêmea e a extremidade do pénis e é indicativa da infecção. (estruvita) comum no cão e gato urina: cristais de tirosina A presença de proteínas na urina pode indicar uma doença nos rins mas também pode ocorrer de forma transitória na ausência de doença. No caso da urina tipo II, é ainda realizado um exame ao microscópio depois da urina ser centrifugada dentro de um tubo. O exame ao microscópio pode revelar a presença na urina de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, bactérias, cristais, células epiteliais e, raramente, parasitas.

Como são feitos os exames de fezes, sangue e urina?

  • Proteinúria alta ocorre com hemorragia, onde pesquisa de sangue oculto é positiva e são observados eritrócitos no sedimento. Na doença glomerular ou tubular não aparecem.

http://www.apurologia.pt/ Gostar A carregar… Exame Microscópico da Urina O exame microscópico do sedimento da urina é de grandiosa valia, pois fornece informações muito úteis no diagnóstico e tratamento do paciente.

A presença de hemácias em grande quantidade na urina pode acontecer em infecções do trato urinário, traumatismos, hemorragias de diversas origens, alguns tipos de câncer, estados inflamatórios e doenças renais. Os principais contaminantes ou artefatos que podem ser observados no sedimento urinário são: Espermatozóides: Estas células podem estar presentes tanto em amostras de urina de homens, quanto de mulheres. A saída de pus pela uretra é o sintoma específico das uretrites, sendo comumente causada por uma doença sexualmente transmissível, e pode aparecer acompanhado de disúria (sangue na urina). Entre os sintomas de infecção do trato urinário são: dor vaginal ou retal, sensação de queimação na pele, vontade constante de urinar, sangue na urina e febre. Alguns tipos de infecções tem sido associada a um risco de longo prazo aumentado para o câncer: O seu médico pode pedir exames laboratoriais (sangue, urina, etc.) O exame de urina analisa a coloração da urina, se a cor é esverdeada ou se houver sangue pode indicar uma infecção do tracto urinário. O exame de urina pode oferecer informações não apenas sobre os rins e bexiga, mas sobre o fígado, pâncreas e outros órgãos, analisando uma ampla gama de distúrbios. Uma das grandes discussões é tentar padronizar uma nomenclatura adequada para o exame de urina. Assim, o exame de urina é constituído por três fases distintas: análises física, química e dos sedimentos.

Aqui estão algumas dicas sobre como coletar a amostra de urina para exame de urina:

  • Antibióticos de amplo espectro que matam muitos tipos de bactérias
  • Fluidos para manter a pressão arterial a níveis normais
  • Oxigênio para manter a oxigenação do sangue normal.

Em relação ao exame de urina de rotina feito de forma clássica (manual), a centrifugação é um procedimento pré-analítico que deve ser realizado em condições ideais.

Microscopia de campo claro (5-8)* Podem estar presentes em pequena quantidade na urina normal. Os cristais são formados a partir da precipitação de sais presentes na urina por diversos fatores, como o pH e a concentração. Há cristais cuja presença na urina pode estar associada a algumas doenças metabólicas ou infecciosas, sendo considerados cristais patológicos. O exame macroscópico: permite a verificação da consistência das fezes, do odor, da presença de elementos anormais, como muco ou sangue, e de vermes adultos ou partes deles. Como interpretar um exame de URINA ROTINA (EAS)? (70%) votes O famoso exame de urina, um dos procedimentos laboratoriais mais comuns, é empregado para avaliar e identificar problemas nos rins e no aparelho urinário. É claro que existem vários tipos, hoje vou explicar apenas o exame mais comumente realizado: Exame de Rotina da Urina, também conhecido como EAS (Elementos Anormais e Sedimento). Esse procedimento ajuda a eliminar resíduos e bactérias eventualmente presentes na urina, o que poderia dar um “falso-resultado” de infecção. * Urina turva: pode ser por presença de bactérias, ou desacamações de células em excesso do trato urinário.

Exame de urina de rotina – nomenclaturas

Exame de Urina - SedimentoscopiaMonitoras: Ana maria marton Isabella milan 2

CRISTAIS A presença de cristais na urina é muito comum, mas de um modo geral, o significado clínico é limitado. Uma semana depois, a paciente informou que já não haviam mais larvas em sua urina e um exame confirmou sua cura. Algumas mulheres vazam um pouco de urina quando se exercitam; o uso de absorvente nesses casos também pode gerar odor. O exame de urina é dividido em três etapas: A urina contém aproximadamente 96% de água e 4% de substâncias diversas provenientes da alimentação e do metabolismo normal. A coleta de urina deve ser feita observando todas as assepsias determinadas para obtenção de um exame correto. A urina em geral é transparente, mas pode ficar turva pela presença de cristais, muco ou esperma, que geralmente não indicam doença, ou por contaminantes, como loções ou talcos. A maioria dos laboratórios usa tiras reagentes para o exame químico da urina. É usado outro método para fazer uma avaliação quantitativa das proteínas na urina, incluindo todas as proteínas presentes. Hemoglobina (hemácias) Esse exame é usado para detectar hemoglobina (hemoglobinúria) ou hemácias na urina (hematúria).

Apresentação em tema: “Exame de Urina - Sedimentoscopia”— Transcrição da apresentação:

Normalmente, pode ser encontrado um pequeno número de hemácias na urina, e o exame com a tira reagente é negativo.

Dependendo da concentração da substância, do pH e da temperatura da urina, podem se formar cristais que são observados no exame microscópico. Como a urinálise é um exame geral de triagem, a hora da coleta não é importante, embora a primeira urina da manhã seja preferida porque é mais concentrada. Uma cultura da urina também pode ser útil, porque é mais provável que se detectem Trichomonas que não se encontraram no exame ao microscópio. A urina normal tem aspecto límpido, porém pode sofrer alterações devido à presença de numerosas células epiteliais, de leucócitos, hemácias, bactérias e leveduras, filamentos de muco e de cristais. Ele pode aparecer na urina pois quando circula pelo sangue a caminho do fígado, pode passar pelos rins e ser filtrado pelos glomérulos. Automação: Citometria de fluxo ou Analisador de imagens Preparo do sedimento para exame microscópicoA padronização do preparo do sedimento é fundamental para a boa performance do exame microscópico da urina. A análise de sedimento urinário (urina tipo I) é realizada através da microscopia, no qual são identificados cristais, hemácias, leucócitos e cilindros, por exemplo, presentes na urina. Se necessário, a urina pode ser colhida, adotando-se dois cuidados: higienização na hora do exame e uso de tampão vaginal, para evitar que o sangue menstrual contamine a urina. Não, desde que se adotem dois cuidados para não misturar esses medicamentos à urina: assepsia na hora do exame e uso de tampão vaginal. O primeiro jato de urina carrega células e secreção que podem estar presentes na uretra. Já a urina tipo I, que é mais comum, pode ser colhida em casa. O exame de urina tipo I é um exame de rotina que avalia, além de alguns aspectos da integridade das vias urinárias, algumas funções renais e algumas situações extra-renais. Cristais de fosfato amorfo: Os sais de fosfato com freqüência estão presentes na urina de forma cristalina, como substâncias amorfas, isto é, sem forma defina.