"O meu animal não pode ter pulgas, porque eu as observaria em seu corpo."

Posted on

Confirme seu voto abaixo: Os parasitas são um problema frequente nos animais de companhia provocam as infestações por pulgas e carraças.

Podem ser classificados como endoparasitas ou parasitas internos (lombrigas, ténias) e em ectoparasitas ou parasitas externos (carraças, pulgas, piolhos, ácaros). As zoonoses são doenças que afetam os animais e que podem ser transmissíveis ao Homem e os parasitas são ótimos exemplos destas doenças. A melhor forma de evitar que o seu animal tenha parasitas é prevenindo. A infestação do animal pode ser evitada quando o proprietário atenta para fatores que favorecem a proliferação das parasitas. Além de trazer incômodos como alergias e coceiras, estes parasitas também podem transmitir doenças graves aos animais e seres humanos. Quando usados mensalmente, os produtos previnem contra a infestação de parasitas no animal e no ambiente. No Brasil, a área de Saúde Animal atua em três unidades de negócios: Animais de Companhia; Aves; Suínos e Aquacultura e Bovinos. Os parasitas externos para além de serem um incómodo para os animais e também para as pessoas podem provocar doenças em alguns casos graves. Um determinado tipo de mosquitos pode transmitir uma doença parasitária grave que pode afectar cães, gatos e animais exóticos como os furões.

• Que problemas podem os Parasitas intestinais causar aos animais?

  • Perda de pelos;
  • Mau cheiro;
  • Ferimentos causados por coçar.

Um resultado laboratorial positivo num animal sem sintomas pode significar, apenas, um contacto anterior com o parasita, e o animal pode nunca vir a manifestar a doença.

Sim, para além das lesões que podem provocar os parasitas adultos, as larvas também podem provocar lesões, migrando através da corrente sanguínea para os rins, fígado, pulmões, coração. As fezes podem dar indicação sobre o estado parasitário do animal (presença de parasitas, ovos e larvas). Recorde-se que os parasitas intestinais podem afectar a saúde dos animais e das pessoas que com eles convivem. Paralelamente é necessário que administre regularmente aos seus animais produtos antiparasitários adequados e eficazes que eliminem os parasitas adultos (redondos e achatados) e também as fases larvares que possam ter. No entanto não devemos descuidar da proteção do nosso animal de estimação, devemos estar alerta no combate aos parasitas externos. Os que mais afetam a este tipo de animais são os ácaros, as pulgas, os carrapatos, os piolhos e alguns tipos de moscas. Os parasitas externos nos cães afetam de diferentes maneiras: desde um sutil desconforto e uma comichão constante até graves doenças que prejudiquem a saúde e o bem-estar do animal. Existem diferentes formas de prevenir os parasitas externos nos cães para que o teu animal de estimação esteja saudável e forte. Além disso, consulta com o teu veterinário sobre as possíveis reações alérgicas que alguns dos princípios ativos dos produtos antiparasitários podem causar no teu animal de estimação.

“O meu animal não pode ter pulgas, porque eu as observaria em seu corpo.”

  • Língua pálida;
  • Barulhos na barriga;
  • Fezes moles;
  • Emagrecimento.

Se os animais não forem tratados, alguns destes parasitas, podem prejudicar gravemente a sua saúde e além disso, alguns parasitas podem também ser transmitidos aos seres humanos, causando-lhes diversos problemas.

Ténias: são os parasitas intestinais mais visivelmente detectáveis, já que muitas vezes aparecem como segmentos em forma de grão de arroz na região anal dos animais ou nas fezes. Os animais de estimação infectam-se pela ingestão de larvas ou através da penetração das larvas na pele do animal. Infelizmente, os ovos de tricurídeos são especialmente resistentes e podem sobreviver no solo durante anos, mesmo em  climas mais frios, reinfectando os animais de estimação que frequentam as áreas contaminadas. Os animais que parecem estar bem e cheios de energia podem mesmo assim expulsar ovos de parasitas. Se suspeita que o seu animal tem parasitas internos, por favor consulte o seu Médico Veterinário para possa realizar o diagnóstico e tratamento apropriados. Parasitas externos: Pulgas - são pequenos animais pertencentes à classe dos insectos. Estes parasitas podem ser transmitidos através da ingestão dos seus ovos (encontrados na água, comida, etc), transmitidos pela mãe aos cachorros ou através de hospedeiros intermediários, como as pulgas. Estes não só podem causar irritação mas também algumas doenças, não só para o animal como também para as pessoas que com ele convivem. Os parasitas externos mais comuns são: As pulgas são um problema durante todo o ano e são os parasitas externos que afectam mais frequentemente os nossos cães.

  • As pulgas também infestam os humanos, e podem transmitir vermes e várias doenças.

Pode-se julgar que se conseguiu eliminar as pulgas, quando subitamente se descobre a presença de uma nova geração alguns dias ou semanas depois do início do tratamento do animal.

Parasitas são seres vivos que vivem à custa de outros animais, designando-se de externos aqueles que vivem na pele e ouvidos, como pulgas, carraças ou ácaros. Os animais de estimação podem apresentar desconforto causado pelos parasitas externos. PULGAS A pulga é um insecto parasita que se alimenta do sangue do seu hospedeiro, animais de sangue quente como cães, gatos, pequenos mamíferos e pessoas. Os animais podem apanhar pulgas em áreas frequentadas por estes, sendo a principal fonte de pulgas a nossa própria casa. Estas podem ficar num estado latente durante semanas até originarem pulgas adultas que saltam para os nossos animais de estimação. Os animais também podem ficar com ténias se ingerirem pulgas com ovos de Dipilidium caninum (ténia comum no cão e gato). As pulgas podem também transmitir doenças infecciosas aos animais (ex: Hemobartonella no gato). Normalmente os parasitas alojam-se no intestino do animal mas também podem, em fases avançadas afetar outros órgãos como o coração ou os pulmões. Os parasitas externos provocam mau estar no seu animal, além de que podem ser portadores de doenças graves.

Mas mesmo se os filhotes forem vacinados, também podem ser contaminados por parasitas, por isso é muito importante diferenciá-los para combatê-los, e para que não fiquem doentes.

Você deve saber que existem parasitas internos e externos, então o Meus Animais vai dar a você mais informações sobre esta questão muito importante para a saúde do seu filhote. Os externos vivem na pelagem de seu cachorro e os internos vivem nos órgãos internos de seu animal de estimação e são mais difíceis de detectar. Isso ocorre porque a pulga adulta está alojada nos pelos, “suga” o sangue de seu animal de estimação e, em seguida, deposita seus ovos em toda a casa. Os parasitas internos mais comuns são os vermes redondos, que costumam ficar no intestino, mas pode acontecer também de ficarem junto ao sistema respiratório e, posteriormente, causar problemas gastrointestinais. A gravidade deste tipo de parasitas é que eles tendem a ser ingeridos por outros parasitas externos e que depositam ovos nos animais. Animais com parasitas são prejudiciais aos humanos Alguns parasitas podem afetar os humanos, além de em rápido espaço de tempo constituírem um problema de saúde pública. As pulgas e as carraças são parasitas externos e surgem normalmente no meio ambiente com maior frequência nos meses mais quentes (verão). Protege o animal de pulgas, carraças, piolhos, larvas e ovos de pulga. Produtos na loja da Estrela Animal: Interno ou externo, mais ou menos perigosos, os parasitas em cães e gatos são um problema que não podemos ignorar. Eles não só afetam os nossos animais de estimação, mas também podem transmitir doenças aos seres humanos, especialmente para as crianças pequenas. Pulgas, carrapatos e vermes intestinais podem infectar não apenas os nossos animais de estimação, mas também o ambiente onde eles vivem e, inclusive, a nós. Pulgas, carrapatos e ácaros da sarna são os parasitas externos mais comuns que podem trazer doenças para o seu cão ou gato.