Doença Da Pulga Em Gatos: Sintomas e Quais As Mais Comuns (Parte 2)

Posted on

Algumas das bactérias mais perigosas, como o Treponema pallidum, que provoca a sífilis, também se podem disseminar pelo sistema nervoso central, quando não tratadas a tempo ou da forma conveniente.

Entre as doenças sexualmente transmissíveis bacterianas, a sífilis certamente é a mais perigosa, uma vez que pode provocar outras consequências graves, como paralisia lenta, psicose, demência e acidente vascular cerebral. Na mulher, quando não é feito um tratamento, a infecção pode trazer problemas mais graves, como endometrites e salpingites, com a inflamação das trompas. Mais difícil de ser diagnosticado, o micoplasma pode estar associado a outras doenças sexualmente transmissíveis, exigindo um tratamento criterioso por parte da pessoa infectada. A infecção pode também ser provocada pelo uso de objetos eróticos, pela masturbação ou pela fricção mais vigorosa dos órgãos genitais, criando uma inflamação na uretra. A falta de tratamento da doença pode ocasionar complicações e condições mais graves, sendo a infertilidade um dos maiores riscos da uretrite não específica. A maior parte das doenças sexualmente transmissíveis bacterianas pode ser tratada com a aplicação de antibióticos, devendo, antes, ser estabelecida a causa da infecção para indicar o melhor tratamento. No caso de sífilis e gonorreia, que são doenças mais difíceis de serem tratadas, muitas vezes é preciso tratamento hospitalar, com internação do paciente. Em certos casos pode ser necessária hospitalização, noutros podem ser prescritos medicamentos ou a doença pode ser naturalmente eliminada pelo sistema imunitário. O desenvolvimento destes métodos ampliou a sensibilidade de detecção dos indivíduos infectados pela Wuchereria bancrofti, auxiliando tanto no tratamento de pacientes assintomáticos, como na erradicação da doença.

Saiba mais sobre Microbiologia Geral, vírus, bactérias, fungos, parasitas, Biologia, microorganismos, áreas de estudo

  • 1º Encontro: 20/05/08
  • - Estudo dos principais parasitas de importância clínica na rotina laboratorial
  • 2º Encontro: 27/05/08
  • - Estudo dos parasitas emergentes
  • 3º Encontro: 30/05/08
  • - Análise laboratorial
  • Aulas práticas: a serem agendadas

Por serem de baixa sensibilidade, os métodos parasitológicos são desnecessários para o manejo clínico dos pacientes; no entanto, testes de xenodiagnóstico, hemocultivo ou PCR positivos podem indicar a doença crônica.

O tratamento específico deve ser realizado o mais precocemente possível quando forem identificadas a forma aguda ou congênita da doença, ou a forma crônica recente (crianças menores de 12 anos). Outras manifestações clínicas e patológicas incluem pneumonite, miocardite, renite, pancreatite ou orquite.1.2 Diagnóstico ImunológicoExistem outros métodos de diagnóstico, mas o imunológico ainda é o mais realizado. A partir de então, técnicas de detecção de ácidos nucleicos (DNA e RNA) foram sendo descritas e, atualmente, correspondem a métodos padrões de diagnóstico de doenças infecciosas. -Estudos relacionados ao desenvolvimento e teste de novos produtos com aplicação a doenças não infecciosas, infecto-parasitárias e infestações parasitárias, de interesse médico e veterinário. Malária, amebíase, doença de chagas, giardíase, disenteria, toxoplasmose, tricomoníase e leishmaniose são alguns dos exemplos mais comuns de doenças causadas por seres protozoários. A doença de Chagas primária aguda, em pacientes imunossuprimidos, como aqueles com AIDS, pode ser grave e atípica, com lesões de pele e lesões de SNC semelhantes a massa. Em contraste, existem poucos parasitas no sangue durante a infecção latente ou fase crônica da doença; o diagnóstico definitivo então pode exigir hemoculturas (ou aspirados de órgãos, como linfonodos). O teste cutâneo com leishmanina pode ser útil nas infecções tardias, quando os parasitas são escassos. A infecção também pode ocorrer pela ingestão de carne crua ou mal cozida contendo cistos teciduais, mais comumente de carneiro, porco ou bovinos.

Dúvidas sobre vírus e suas doenças? Venha conhecer mais sobre estas oito doenças virais para se dar bem no ENEM e no vestibular.

  • Herpes genital (provocada pelo vírus Herpes simples tipo II)
  • Verrugas genitais (causadas pelo Papilomavírus humano - HPV)
  • SIDA (causada pelo vírus HIV, de imunodeficiência adquirida)

A doença metastática origina-se no cólon e pode envolver qualquer órgão, mas um abscesso hepático, geralmente único e no lobo direito, é o mais comum.

É a infecção pelo nematódeo filarial Onchocerca volvulus, provocando doença cutânea crônica e lesões oculares, que podem levar à cegueira. A infecção e a doença são mais comuns em regiões tropicais e Sahel da África; existem focos menores no Yêmen, sul do México, Guatemala, Equador, Colômbia, Venezuela e Amazônia brasileira. É a infecção por parasitas do sangue do gênero Schistosoma, que pode provocar doença crônica de intestino, fígado e trato GU. - DIAGNÓSTICO: o diagnóstico é clínico, mas pode ser confirmado por exames histopatológicos das lesões, por isolamento e identificação do vírus ou pela prova sorológica do teste de Elisa. A morte pode ocorrer entre 5 a 7 dias do curso da doença; entretanto este período pode ser mais longo. O agente causador da doença pode ser transmitido pelo ar, moscas, contato entre as aves, por utensílios e, principalmente, pela água contaminada nos bebedouros. - DIAGNÓSTICO: é especulativo, baseado no histórico da doença no criatório e na região juntamente com a sintomatologia, pois outras doenças podem apresentar quadro semelhante. Estes métodos, quando positivos, não indicam obrigatoriamente infecção ativa, pois a positividade, devido a presença de anticorpos, pode permanecer por muitos anos, mesmo após a cura da infecção. Em casos mais extremos, é possível ainda que o teste não determine apenas a presença do patógeno, como também a sensibilidade de micobactérias aos tuberculostáticos disponíveis ao tratamento da tuberculose.

Doenças Causadas por Anticorpos contra Células Fixas e Antígenos de Tecido

  • Tricomoníase, provocada pelo Trichomonas vaginalis;
  • Piolhos públicos, com a presença de Pthirus púbis no organismo;
  • Sarna, causada pelo Sarcoptes scabiei mites.

Equipe Brasil Escola Doença não contagiosa,o câncer pode ser definido como um grupo de mais de 100 doenças que se caracterizam pelo crescimento descontrolado de células anormais, chamadas de malignas.

Nessa seção você encontrará muitos textos relacionados às doenças causadas por vermes parasitas, e conhecerá mais os sintomas, o tratamento e a profilaxia de cada doença. Apesar de serem bastante incômodas e, geralmente, de tratamento mais longo do que o indicado para outras infecções, doenças fúngicas raramente oferecem risco de vida a pacientes saudáveis. Ele também atua como um sedativo leve e que você pode relaxar melhor, depois de quando você trabalhou e ficou estressado por causa de sua doença. Os sintomas comuns da gastroenterite também podem ser indicadores de doenças gastrointestinais mais graves. O uso de biomarcadores desempenha um papel fundamental nestas investigações porque sua identificação pode ser usada para prever o desenvolvimento da doença e implementar programas de prevenção de doenças. Epidemiologia (4 créditos, 60 horas) Prof. Dr. Ricardo Ishak Ementa: Apresentação de conceitos e métodos básicos em epidemiologia e sua aplicação na área das doenças infecciosas. Detectou-se discordância nos resultados dos métodos de ELISA e coproscópico, com maior número de positivos no teste imunoenzimático. Referências As doenças causadas por bactérias, também conhecidas por bacterioses, tanto podem ser facilmente tratadas através de antibióticos, como o seu agravamento pode levar à morte. As crianças são a faixa etária mais atingida, e os pacientes devem ter um acompanhamento por pelo menos 6 meses depois da doença.

Apresentação em tema: “MÉTODOS LABORATORIAIS DE DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS PARASITÁRIAS”— Transcrição da apresentação:

Nesse período, as provas sorológicas podem ser falso-negativas e por isso, há a necessidade de realizar mais de um teste em tempos diferentes.

O Programa Sanar tem como objetivo reduzir ou eliminar enquanto problema de saúde pública as seguintes doenças transmissíveis negligenciadas: tuberculose, hanseníase, esquistossomose, doença de Chagas, leishmaniose, filariose, geo-helmintíases e tracoma. Doenças trabalhadas pelo Programa Sanar: Tracoma: Doença infecciosa ocular que acomete a conjuntiva e a córnea, em decorrência de repetidas infecções. Doença de Chagas: provocada pelo protozoário Trypanossoma cruzi, a doença pode se apresentar na fase aguda ou somente na forma crônica, com complicações cardíacas ou digestivas. Além disso, por se tratar de uma infecção viral, o contato com uma pessoa infectada pode ajudar a espalhar o vírus e deixar mais pessoas doentes. PRINCIPAIS MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO3º- Diagnóstico diferencial Provas para identificação de vias metabólicas utilizadas pelos microrganismos: Teste da coagulase Teste da catalase Fermentação Amilase Citrato-permease Triptofanases 37 PRINCIPAIS MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO3º- Diagnóstico discriminatório – Testes mais específicos BIOLOGIA MOLECULAR – PCR - DETECÇÃO DE ANTÍGENOS BACTERIANOS 38 Essa doença afeta principalmente pacientes com algum grau de imunodepressão e é mais comum em países em desenvolvimento, onde a tuberculose pulmonar também é mais frequente. Aspergilose A aspergilose é uma infecção fúngica que afeta mais frequentemente pacientes com neoplasias hematológicas e que realizaram transplante de células hematopoéiticas e de órgãos sólidos. Mais comum em pacientes com CD4 baixo, a medida terapêutica restringe-se ao tratamento da doença de base com antirretrovirais.

Curso Diagnóstico de doenças parasitárias: do clássico aos métodos moleculares

Esse tipo de meningite é uma doença comum como primeira manifestação da infecção pelo HIV, verificada muitas vezes em casos de síndrome de soroconversão.

Podem ser utilizados também métodos moleculares, mas estes demandam mais tempo e são mais caros. Departamento de Genética/IOC/FIOCRUZ O exame chamado FAN, sigla para fator antinuclear, é um teste habitualmente solicitado para os pacientes que estão com suspeita de uma doença de origem autoimune. Se você quiser saber mais sobre as doenças autoimunes, leia: DOENÇA AUTOIMUNE. Algumas doenças ou medicamentos também podem causar um FAN reagente sem que isso signifique a presença de uma doença autoimune. A linha de pesquisa Biologia celular de doenças infecciosas e degenerativas visa desvendar mecanismos envolvidos na interação parasita-hospedeiro, como também alterações celulares degenerativas, em nível celular e molecular. Mais recentemente, o advento da genética microbiana e da biologia molecular da célula tem aumentado nosso conhecimento sobre as causas e os mecanismos das doenças infecciosas. Este conhecimento tanto pode nos fornecer novas informações sobre a biologia normal da célula quanto pode ser útil ao desenvolvimento de estratégias de prevenção das doenças infecciosas. Assim, a compreensão da biologia de uma doença infecciosa requer a apreciação da contribuição dada tanto pelo patógeno quanto pelo hospedeiro. Quando o teste rápido detecta casos positivos, entretanto, é necessário outro exame para confirmação, chamado Elisa, feito por meio de análise de amostra de sangue em laboratório. O Ministério da Saúde preconiza a eutanásia de cães infectados, identificados por meio de teste sorológico, como uma das medidas de controle para a transmissão da doença.