INTERMETRO SERVIÇOS ESPECIAIS – A MELHOR EM CALIBRAÇÃO DE CORRENTES PARASITAS

Posted on

O ensaio não destrutivo com correntes parasitas é uma maneira segura, rápida e barata para realizar manutenção preventiva e garantir a segurança.

Nosso equipamento de correntes parasitas possui renome internacional por causa de sua confiabilidade e precisão e nosso serviço de suporte à clientela asseguram o aproveitamento máximo de seu equipamento. No entanto, a inspeção com correntes parasitas apresenta uma série de vantagens: Sonda NECP-1152L 45° Stainless Shaft Weld Quando correntes elétricas parasitas passam pelo rolamento, podem causar danos significativos, incluindo microcraterização na pista, derretimento das superfícies de metal e degradação do lubrificante. Os rolamentos isolados SKF oferecem uma solução confiável e econômica para as correntes parasitas. Sejam as correntes CA, CC ou pulsos de alta frequência, é provável que correntes elétricas parasitas entrem nos rolamentos do motor. A SKF também oferece serviços de análise da corrente do rolamento para ajudar você a resolver os problemas de correntes parasita recorrentes. A Coldclima possui equipe formada e treinada para inspeção por correntes parasitas, apoiados por equipamentos de ultima geração para medições, de fabricação Zetec e uniwest. Jean Bernard Léon Foucault (1819 - 1868) Para entender o que são as Correntes de Foucault, é necessário lembrar-se de dois fatos muito importantes na História do Eletromagnetismo. O motor aciona os dois discos, excita os eletroímãs obtendo-se um fluxo magnético fixo, que cria nos discos em rotação as correntes de Foulcault.

Ensaios não destrutivos - Exame por correntes parasitas de produtos tubulares de aço, usando saturação magnética

  • Perda por enlace

Se um fluxo magnético variar ao longo desta placa, irá induzir correntes elétricas neste “conjunto de espiras”.

O ensaio com correntes parasitas somente pode ser usado em materiais condutores de eletricidade, como por exemplo: aços, ferro, alumínio, cobre, latão, bronze, titânio e outros. O ensaio com correntes parasitas é muito útil para controle de tratamento térmico e separação de materiais quanto a sua composição química e/ou microestrutural. Outro exemplo de ensaios com correntes parasitas é inspeção do cordão e base da solda como também a zona afetada pelo calor. Outra aplicação dos ensaios com correntes parasitas é detecção de descontinuidades dentro de furos. O ensaio de Correntes Parasitas utiliza conceitos de eletromagnetismo para detecção de descontinuidades. Consiste na indução de campo magnético em material metálico com o objetivo de gerar correntes parasitas. Um ótimo caminho para começarmos a entender o que são as correntes de Foucault é pela análise do outro nome que costuma receber: correntes parasitas. Como já dito, as correntes de Foucault ocorre em corpos metálicos nos quais há variação do fluxo eletromagnético, sendo que está variação é a responsável pela criação das correntes parasitas. Para responder a estas perguntas, vamos conhecer um pouco mais a respeito do efeito das correntes de Foucault.

Princípio dos ensaios com a técnica de Correntes Parasitas (ECT)

  • Impacto da impedância do secundário no primário

Desta maneira, o efeito gerado é a alta intensidade dessas correntes combinado ao efeito Joule, que gera uma grande elevação de temperatura.

Pois não se preocupe: vamos analisar casos abaixo que representam perfeitamente esta dualidade da aplicação prática do efeito das correntes de Foucault. Independentemente de serem ou não estáticas, estão sujeitas à variação de fluxo eletromagnético e, consequentemente, às correntes parasitas. Mas se as correntes de Foucault são um fenômeno que não pode ser evitado, como as máquinas funcionam sem apresentar problemas? Ainda assim, há casos em que o empilhamento de chapas magnéticas não é suficiente, pois quanto mais rápidas são as variações no fluxo, mais elevadas são as correntes induzidas. Outro exemplo clássico aproveitamento das correntes de Foucault pode ser encontrada nos freios magnéticos, amplamente utilizado em vagões de trens, amperímetros e multímetros. EXEMPLO: CORRENTES PARASITASEVOLUÇÃO DO MÉTODOEND POR CORRENTES PARASITAS É TAMBÉM CONHECIDO POR CORRENTES DE EDDY OU DE FOUCAULT. GRUPO WESTERN ELETRIC COMPANY - 1920DESENVOLVIMENTO O PRIMEIRO SISTEMA DE DETECÇÃO POR DESCONTINUIDADE (1930).DESENVOLVIMENTO DOS PRIMEIROS DE SISTEMAS COMERCIAIS PARA ENSAIOS DE CORRENTES PARASITAS POR FREDERICH FOERSTER (1940). NADIA MARCUZ,POR INCENTIVAR-NOS, MOTIVANDO-NOS SEMPRE NO CONTEÚDO PROPOSTO PELA DISCIPLINA.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASPEREIRA, PA de S. Estudo preliminar da aplicação da técnica de correntes parasitas visando a inspeção submersa de elementos combustíveis. Um estudo de correntes induzidas em meios maciços ferromagnéticos-aplicação no projeto de freios de correntes parasitas.

MAIS SOBRE A CALIBRAÇÃO DE CORRENTES PARASITAS

  • Ensaio de resistividade ôhmica

Caracterização das propriedades mecânicas de ferro fundido nodular por análise harmônica dos sinais das correntes parasitas, Rio de Janeiro.

LMR, 2006,“Estudo de Falhas em Rolamentos Provenientes de Tensões e Correntes Parasitas no Eixo do Motor”. Recife-PE, Brazil.ALENCAR, D. A. SIMPAR, Sistema de simulação de testes de tubos por correntes parasitas. O nome destas correntes foi dado em homenagem ao físico e astrônomo francês Jean Bernard Léon Foucault, responsável por mostrar a existência delas. Isto ocorria devido à origem de correntes parasitas no interior do metal, que eram produzidas pela variação do fluxo. O novo NORTEC 600 integra os últimos avanços tecnológicos de alta performance para detecção de defeitos por correntes parasitas em uma unidade compacta e resistente. Sistema de tecnologias múltiplas compatível com as técnicas de correntes parasitas e de dispersão de fluxo magnético, assim como dos ultrassons à distância e IRIS. As sondas para inspeção de tubos são sólidas e leves, elas foram concebidas para: correntes parasitas, campo remoto, vazamento de fluxo magnético e ultrassom IRIS. Os escâneres rotativos para inspeção de orifícios de parafusos podem ser utilizados com os instrumentos para detecção de defeitos por correntes parasitas da série Nortec. Devido a essa vasta utilização das correntes parasitas (Eddy current) é que elas devem ser submetidas à calibração de correntes parasitas para que sempre apresentem funcionamento adequado e satisfatório.

Para saber mais sobre Calibração de correntes parasitas

Por fim, a calibração de correntes parasitas deve ser realizada por profissionais capacitados, sendo importante a contratação de laboratórios confiáveis para a execução desse serviço.

também de ‘correntes parasitas’, as correntes elétricas que aparecem em a Foucault, a descoberta das correntes induzidas em um condutor quando em O estudo faz uma análise dos possíveis problemas com desgastes prematuros em rolamentos de geradores por conta da circulação de correntes parasitas. O nome dado a estas correntes é em homenagem ao físico e astrônomo francês Jean Bernard Léon Foucault, que foi quem primeiro mostrou a existência delas. Chamam-se corrente de Foucalt a essas correntes que aparecem por indução em blocos metálicos. Em 1940, Frederich Foerster desenvolveu os primeiros aparelhos e sistemas comerciais para ensaios por correntes parasitas. Ambas técnicas dependem do princípio de indução eletromagnética para induzir correntes parasitas numa peça disposta dentro ou nas proximidades de uma ou mais bobinas de indução. O aquecimento é consequência das perdas produzidas pelo fluxo de correntes parasitas na peça(I2 * R). Uma delas, está nos níveis de potência utilizados: no caso da técnica de aquecimento por indução, utilizam-se potências bem mais elevadas do que no caso de ensaios por correntes parasitas.

Estudo de falhas em rolamentos provenientes de tensões e correntes parasitas utilizando o sensor Shaft Probe

Como consequência disto, nas proximidades da bobina é gerado um campo eletro-magnético chamado de campo primário (HP), o qual induz um fluxo de correntes parasitas na peça sendo ensaiada.

figura 1 As correntes parasitas induzidas na peça, por sua vez, geram um segundo campo eletromagnético, chamado de campo secundário (HS) o qual tem sentido contrário ao primário. A (figura 2), mostra a distorção do fluxo de correntes parasitas numa peça de superfície plana e numa barra, devido à presença de descontinuidades. Neste caso: U ind ≈ Φ (π,μ) De forma geral, nos ensaios por correntes parasitas: - As variações de permeabilidade magnética (μ), correspondem a variações na dureza do material. Quando uma peça metálica é colocada dentro ou nas proximidades de uma bobina, o campo eletromagnético da mesma, muda devido ao fluxo de correntes parasitas na peça. Os materiais condutores, que incluem a maioria dos metais, são de grande interesse nos ensaios por correntes parasitas, desde que a sua aplicação possibilita a medição de condutividade elétrica.