Apresentação em tema: "Introdução à Parasitologia"— Transcrição da apresentação:

Posted on

HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: designa a um hospedeiro igualmente imprescindível no ciclo vital do parasita, onde este desenvolve alguma ou todas as fases larvais ou juvenis.

O parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais. Esta espécie é capaz de sobreviver tanto dentro (na forma parasita) quanto fora (vida livre) de outro organismo vivo. É o caso das larvas de moscas que podem desenvolver-se tanto em feridas necrosadas (como parasitas) ou em matéria orgânica em estado de decomposição (como larvas de vida livre). Transmissão de parasitas Eles podem ser transmitidos entre os seres humanos através do contato pessoal ou do uso de objetos pessoais. Os cientistas que atuam nesta área estudam o ciclo de vida dos parasitas, doenças transmitidas, formas de combate aos parasitas humanos, genética e morfologia destes seres. Convalescença Grupos parasitários Grandes grupos Endoparasitas Ectoparasitas Muitos parasitas requerem dois ou mais hospedeiros durante o seu ciclo. INTRODUÇÃO Parasitas são organismos que vivem em associação com outros aos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro, um processo conhecido por parasitismo. Os barbeiros alimentam-se de sangue e contaminam-se com o parasita quando sugam sangue de animais mamíferos infectados, que são os reservatórios naturais (bovinos, por exemplo) ou mesmo outros humanos contaminados. Uma vez no tubo digestivo do barbeiro, o parasita é eliminado nas fezes junto ao ponto da “picada”, quando sugam o sangue dos humanos que por aí infectam-se.

Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios, pois só se reproduzem no interior de uma célula hospedeira. São também agentes causadores de muitas doenças infecciosas que afetam seres humanos.

  • Apenas um dos parceiros beneficia (parasita).
  • O outro parceiro (hospedeiro) pode ou não ser prejudicado, causando doença ou infecção ou infestação.

A doença afeta muitos outros vertebrados além do Homem: cães, gatos, roedores, tatus e gambás podem ser infectados e servir de reservatório do parasita.

Ela parte do princípio, QUE HAVERÁ UM HOSPEDEIRO que abrigará o PARASITA, em pelo menos uma fase de seu ciclo de vida, sendo que outras fases serão normalmente na natureza. Acção dos parasitas sobre o hospedeiroNem sempre a presença de um parasita no hospedeiro indica que exista patologia associada. Conforme já foi dito acima, existem dois tipos de ciclos biológicos apresentados por esse parasito: o ciclo direto ou partenogenético e o ciclo indireto, sexuado ou de forma livre. Priscila Curtir Carregando… Ovo do Shistosoma Mansoni: parasita causador da forma intestinal da Esquistossomose O que é (resumo) A esquistossomose é uma moléstia causada por parasitas humanos. Quando o parasita passa a habitar no interior do hospedeiro definitivo, ele pode se fixar no fígado, na vesícula, no intestino ou bexiga do homem, causando, desta forma, vários danos. Ciclo O desenvolvimento de um parasito se dá pela instalação no hospedeiro. A passagem de um hospedeiro para outro, durante o desenvolvimento do parasito obedece um programa regular de acontecimentos = Ciclo Biológico. A contaminação ocorre de diversas formas, mas a mais comum é por meio da ingestão de alimentos ou água contaminada ou através da pele quando há pequenos ferimentos. O ciclo de vida do bicho geográfico começa quando animais domésticos ingerem alimentos contaminados com o parasita Larva migrans.

Apresentação em tema: “PROF. HYGOR ELIAS. PARASITISMO RELAÇÃO ECOLÓGICA INTERESPECÍFICA DESARMÔNICA, ONDE A ESPÉCIE BENEFICIADA ( O PARASITA) VIVE ÀS CUSTAS DA ESPÉCIE PREJUDICADA.“— Transcrição da apresentação:

  • Os parasitos que causam distúrbios no organismo podem fazê-lo:
  • *Ação mecânica
  • *Ação obstrutiva
  • *Ação tóxica, devido aos produtos de seu metabolismo ou de algum simbionte associado ao parasito.

Introdução Este trabalho acadêmico tem como o propósito noções quenos levaráao esclarecimento das doenças provocadas por parasitas que atingem os animais e ohomem.

Estes platyhelminthes parasitas têm o corpo geralmente revestido por uma cutícula resistente, secretada pela epiderme, na qual não estão presentes os cílios. Assim, milhares de cercarias vão deixando o corpo dos moluscos e retornam à vida aquática também por um curto espaço de tempo. Assim os seus ovos irão desenvolver-se e as larvas (parasita) que irão nascer iram alimentar-se do corpo da largata (hospedeiro). Uma das ameaças mais comuns à conservação da biodiversidade em águas continentais é a introdução de espécies exóticas. Ela ocorre, geralmente, no humano, exceto no caso da malária, onde a reprodução ocorre na Anapholes, ou seja, no pernilongo, que ai sim, transmite a doença para as pessoas. No exame parasitológico são pesquisadas formas diversas de diversos parasitas que causam doenças em humanos. As verminoses são doenças causadas por causa de vermes do tipo parasitas e podem trazer sérios problemas e disfunções no funcionamento do nosso organismo. Os vermes parasitas são muitos e podem causa várias doenças, no entanto, alguns são mais comuns. Neste resumo sobre verminoses, vamos mostrar as principais verminoses que podem atacar o corpo humano.

Apresentação em tema: “HELMINTOS PARASITAS INTESTINAIS NEMATODA (corpo cilíndrico)“— Transcrição da apresentação:

  • Hospedeiro definitivo
  • Aquele no qual o parasita tem a sua forma adulta ou vida reprodutiva (reprodução sexuada)
  • Hospedeiro Intermediário
  • Aquele em que o parasita vive em estado larvar (reprodução assexuada)

Introdução: Parasitismo: O parasitismo é um tipo de adaptação em que um organismo (parasita) retira vantagens de outro organismo (hospedeiro), permanecendo durante um período mais ou menos duradouro.

Neste tema, a relação biótica em questão, é a interespecífica, ou seja, ambos os seres vivos em ação são de espécies diferentes. Parasitas/Hospedeiros:Os parasitas são organismos que vivem em associação com outros, dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo (hospedeiro). Explicação da relação interespecífica em estudoO ectoparasitismo é quando os parasitas vivem á superfície do corpo do hospedeiro. Piolho-Ser Humano Os piolhos têm entre 0,5 e 8 mm de comprimento, corpo achatado e garras que lhes permitem a fixação ao hospedeiro. Parasitas são organismos que vivem à custa do seu hospedeiro, consumindo partes de seu corpo. Podem se prender no corpo do hospedeiro, como é o caso dos carrapatos, pulgas e piolhos ou penetrá-lo, como acontece com vermes. Os parasitas precisam se dispersar no ambiente para trocar de hospedeiro, e isso eles fazem através de ciclos de vida, alguns até muito complexos. Podemos usar como exemplo o ciclo de vida do verme causador da teníase. O equilíbrio entre as populações de parasitas e hospedeiros depende da virulência do parasita e do sistema imune do hospedeiro.

A figura a seguir representa o ciclo de vida de um verme parasita do organismo humano.

ser vivo possui um ciclo de vida, onde nasce, cresce se multiplica e morre.

Seu ciclo de vida, também chamado de ciclo evolutivo, dois principais tipos de ciclo de vida parasitária: ciclo mono xênico, onde apenas um hospedeiro está envolvido; e ciclo heteroxênico, quando dois ou mais Teníase/Cisticercose Teníase Ciclo de Vida Cisticercose Vegetais ou animais que estiverem em contato com água ou solo contaminado por Ciclo de Vida Enfermidade causada pelo protozoário Schistosoma. Os protistas podem ainda ter adaptações de forma e estrutura de acordo com o seu modo de vida: parasita, ou de vida livre. Têm diversas formas, de acordo com a fase do ciclo de vida, e em média cerca de 1-2 micrómetros de diâmetro (a hemácia tem cerca de 7 micrómetros). Estes micro-organismos de vida livre estão presentes em muitos ambientes mas alguns levam vida parasitária causando doenças em animais, febre, cistos muito dolorosos e outros males em seus hospedeiros. Muitos protozoários causam doenças nos seres humanos e a outros animais vertebrados.

Apresentação em tema: “Imunidade a Vírus e Tumores. Características gerais dos vírus  Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios.  Utilizam a célula (organelas) para.“— Transcrição da apresentação:

Geralmente o tipo de ciclo reprodutivo é indiferente ao nível de problema que o mesmo pode provocar dentro do corpo.

O ciclo de vida da malária começa assim que um mosquito Anofeles infectado infecta uma pessoa com um dos quatro tipos de parasitas plasmodium que causam a malária. Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993) Hospedeiro é um organismo que abriga um parasita em seu corpo. O parasita pode ou não causar doença no hospedeiro. Normalmente os parasitos são específicos dos hospedeiros, mas existem espécies de parasitas que conseguem se instalar em duas ou mais espécies de hospedeiros durante o seu ciclo de vida. Como exemplo, a Taenia solium que causa a teníase e vive no intestino humano na fase adulta, parasita o porco na sua fase larval. Isso mesmo, existem fungos que são parasitas, isto é, que obtêm nutrientes de outros seres vivos, prejudicando-os, causando doenças ou até a morte de plantas e animais, inclusive seres humanos. Alguns têm maior ciclo de vida, o que dá ao parasita da malária o tempo necessário dentro do mosquito para se desenvolver. Na África subsaariana, o mosquito Anopheles gambiae prefere picar os seres humanos e tem uma vida mais longa. Como se isso não bastasse, a África é também o lar da forma mais letal do parasita da malária: o Plasmodium falciparum.

Por que é importante conhecer o ciclo de vida dos organismos, em especial os vermes causadores da doença nos homens?

Todos os vírus e muitas bactérias são parasitas que vivem dentro das células do corpo do hospedeiro.

Piolho: um parasita do ser humano O que é O parasitismo é um fenômeno pelo qual uma planta ou animal sobrevive retirando nutrientes de outro ser. Podemos citar, como exemplo deste fenômeno, o piolho, que vive como parasita no couro cabeludo de seres humanos e animais domésticos. Os parasitas podem ser classificados da seguinte forma: - Parasitas Completos: vivem no hospedeiro durante a vida toda. - Parasitas Incompletos: vivem no hospedeiro durante um certo período da vida. A introdução intencional de espécies exóticas é tão frequente quanto a acidental no Brasil, e causou alguns dos piores casos de invasões. Os esparsos registros disponíveis indicam a eliminação ou redução de espécies nativas por competição e predação, a introdução de parasitas, e a alteração de processos do ecossistema. Parasitas são organismos que vivem em associação com outros dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro, um processo conhecido por parasitismo. Também existem espécies de amebas que vivem em água salgada e espécies que vivem dentro de outros animais, como no intestino do ser humano. Isso ocorre, por exemplo, no ciclo de vida do protozoário causador da malária. O ciclo biológico é bastante complexo entre os endoparasitas, que podem ou não ter uma fase larval externa, muitas vezes de vida livre. Alguns representantes deste filo são de vida livre, como as planárias (de habitat aquático); outros são parasitas do homem e de outros animais (habitat terrestre e no interior do corpo). O controle biológico pode ser feito a partir da introdução de parasitas específicos ou de predadores. Até o momento, o processo mostrou-se mais eficiente por meio da adição de parasitas, pois é mais específico e o parasita morre com o organismo parasitado. O hospedeiro intermediário é vital no ciclo de vida do parasita, sendo que este desenvolve alguma ou todas as fases larvais ou juvenis no hospedeiro. Alguns parasitas, chamados monoxênicos(monóxenos), completam seu ciclo de vida em um hospedeiro. Porém, há outros parasitas, chamados heteroxênicos (heteróxenos) que precisam de mais de um hospedeiro para completarem seus ciclos de vida. O causador da doença de chagas tem seu ciclo de vida em dois hospedeiros diferentes, um no barbeiro e outro em um mamífero.